quinta-feira, 28 de maio de 2015

Sobre como a vida dá voltas

         A gente realmente acha que certas coisas acontecem de uma hora pra outra. Num determinado momento está tudo bem, no outro, o mundo vira do avesso. Azar, Lei de Murphy, revés, contratempo, pode chamar do que quiser. A verdade é que a gente sabe, no fundo a gente bem sabe que não é bem assim.
         Tem certas coisas que fogem do nosso controle, como um acidente no trânsito, ônibus atrasado, um imprevisto de família. Mas outras, a maioria delas, a gente sente que está mudando. Um término de namoro nunca vem de repente, a gente pressente que algo não está certo. Uma demissão não ocorre do nada, a gente tem consciência  de um vacilo que deu, uma coisa que deixou de fazer. Na maioria das vezes o problema e a complicação está bem debaixo do nosso nariz, só que a gente não quer ver. Ninguém quer admitir pra si mesmo que tem mais um peso pra carregar.
         No meu primeiro namoro e nos meus rolinhos, eu sempre sentia a hora que a coisa tava acabando... tanto to meu lado quanto do dele, mas não gostava de admitir pra mim mesma, porque era muito mais cômodo levar a situação até onde dava do que terminar tudo de vez e ser feliz.
         Todo isso me leva ao ponto: Comodidade. O que eu tive de amiga infeliz no relacionamento, porque já fazia anos que estava com o namorado e tinha medo de ficar sozinha ou de nunca mais encontrar alguém bom na vida. Era cômodo levar um relacionamento ruim, ao invés de terminar, sofrer, sofrer de novo, se recuperar, sair e conhecer um cara legal. Preguiça da vida de solteiro, receio de beijar uma nova boca, pegar numa mão que encaixa diferente, ficar com cafajestes... Tudo isso faz parte da vida e do amadurecimento.
         A gente não pode (não deve!) deixar de fazer as coisas por medo nem usar o medo como desculpa; "A vida é feita de riscos". Vamos mergulhar juntos no que pode ser uma nova enrascada ou uma grande aventura.


           Uma breve observação: tudo que vai volta. Quem fala mal paga com a língua!




terça-feira, 26 de maio de 2015

Você e eu

Sou tão grata 
     
        De ter você como meu namorado nesse mundo tão louco, onde todo mundo trai todo mundo, mente, engana e se perde.
        De ter um companheiro fiel e amoroso, que cuida de mim e me conhece melhor que eu mesma.
        Que me atura na tpm e tem a maaior paciência comigo.

Sou tão feliz

        Por você ter me escolhido
        Por pertencer a você
        Por você me complementar

Adoro quando

        Você me abraça apertado
        A gente deita um do ladinho do outro
        Você me acaricia
        Você me beija gostoso
        A gente se entrelaça
        Vamos ao cinema juntos

Não gosto quando
 
         A gente briga :(
         Não te faço feliz
         Você fica chateado comigo

Nesses últimos 3 anos e meio

        Aprendi a ter muuuita paciência
        Eu amadureci (com você)
        Cresci como pessoa
        Aprendi que a vida pode ser mais leve, por sua causa.
        Aprendi que se a gente não relevar certas coisas, se desgasta
        Descobri o que é o amor de verdade
        Percebi que mesmo que a gente esteja juntos já um tempo considerável, parece bem menos.
        Melhorei meus dotes culinários
        Experimentei e gostei de algumas comidas do Nordeste.
        Vi muitos seriados e li muitos livros.
        Fui em uma festa sem você, e foi a mais chata.
        Dormi em vários filmes (até nos legais, contra a minha vontade) e você ficou bravo comigo
        Vi como é bom dormir juntinho.
        Aprendi a comer e a gostar de comida japonesa (na verdade, eu viciei, hehe)
        Amei você, como nunca amei alguém.


                                                                                                     Te amo,
                                                                                                           CSG, maio 2015




   

sexta-feira, 22 de maio de 2015

Bad feelings

            Acordei no meio da noite com uma sensação forte de que algo ruim vai acontecer... Raramente tenho isso. Não gosto, me deixa ansiosa


quinta-feira, 21 de maio de 2015

Gente chata


Sou um alguém que adora ficar sozinho. Gosto de sair e encontrar pessoas, mas às vezes preciso me recluir um pouco; Ainda mais quando estou passando por um período estressante. 
Nada mais gostoso que passar um fim de semana solitário, lendo um bom livro, colocando meus seriados em dia, organizando o quarto, ouvindo música, dormindo. Gosto mais disso do que a pressão social de ter que falar com alguém quando não se está afim. 
Somos humanos, temos que conviver uns com os outros, mas como diz a Kéfera:"Gente chata me dá uma preguiiiiça"

quarta-feira, 20 de maio de 2015

Vamos ser Livres

             


             Namoro há 3 anos e meio e estou cansada de ouvir as seguintes frases:
 
             - Nossa, vocês namoram há tanto tempo e ainda não moram juntos?
             - Quando vocês vão casar?
             - Ele não dorme na sua casa? Aff, que chato
             - Ele sabe que você foi na festa sem ele? (O contrário também é verdadeiro)
             - Você deixou ele ir sozinho pra tal lugar? Que louca você...
           
             As pessoas tem uma mania de achar que só porque a gente namora temos que viver grudados, feito gêmeos siameses. Esquecem que cada um é um e que cada um tem a sua personalidade.
             Desde o começo do nosso namoro, eu e meu namorado sempre prezamos muito pela nossa individualidade. Eu gosto de sair com as minhas amigas e ele gosta de sair com os amigos dele. Gosto de ir pra um bar, jogar conversa fora e dar boas risadas. Ele curte um churrasco regado a muita cerveja e papo cabeça. Pô, coisa mais chata é você querer sair, espairecer e o seu parceiro não "deixar".
             Primeiro que ninguém aqui não tem que "deixar" nada. Se eu quero sair pra algum lugar eu simplesmente saio. O mesmo vale pra ele. Lógico que tudo tem limites. Não vou chegar e avisar que tô indo pra uma balada. Aí já acho que é forçar a barra. Mas gente, por favor, não é porque você namora que você deixa de existir como um ser humano único e passa a co-habitar com um outro ser.
             Não nego que o que influencia muito é a segurança que você sente com o seu parceiro. Pra mim, quem muito desconfia e quem muito implica tem culpa no cartório. A gente tem que ter consciência que não somos nem propriedade e nem proprietário de ninguém; Que você é um ser livre, e seu parceiro também, e que a graça disso tudo é ele escolher ficar com você todos os dias, pois você vale a pena, entendeu? Não vamos ser as loucas (e loucos) de querer obrigar alguém a ficar do nosso lado pra suprir uma carência emocional, vamos ser livres!
           

terça-feira, 19 de maio de 2015

Recalque e Inveja

     

         Como essas palavras me irritam. Hoje em dia é tudo recalque pra lá, inveja pra cá. Quando entro no Facebook já sei que irei me deparar com pelo menos trocentas fotos com uma dessas palavras. Gente, por favor, para com isso! Pra mim isso é mania de perseguição, carência, falta de noção.
        Pra que se preocupar tanto assim com que os outros acham? Pra que ficar postando indiretas em fotos? Quer falar algo pra alguém, fale na cara! Ou não fale, mas não fique esperando a carapuça servir. Às vezes a pessoa não está nem aí pra você, e você gastando seu tempo achando que ela não para de cuidar da sua vida. Já parou pra pensar que talvez você cuide mais da vida dela do que ela da sua?
        Cara, vai ser feliz, vai se divertir e pare de ficar se preocupando com o que os outros acham. Eu já fui uma pessoa muito dependente da opinião alheia. Ia postar uma foto no Orkut ou Facebook e ficava pensando "o que as pessoas ou um fulando em específico, vão achar". Meu objetivo era o maior número de comentários e likes possíveis. Hoje posto o que me dá vontade, as fotos que acho legais. Se curtiu, que legal, se não curtiu, de boa também. O que também não vale é ser um sem noção e ficar postando coisas nada a ver. (hahaha tô brincando, se você curte ser sem noção, a página é sua ué)
         Felicidade atrai inveja. Não precisa ficar gritando a sua por aí. E também não se esqueça que por Facebook todo mundo é feliz e de bem com a vida. Não fique aí achando que só a sua está uma merda ultimamente. E se você acha que tem muita gente cuidando da sua vida e isso te incomoda, ligue o foda-se ;)




Gentiliza gera gentileza

       Preceito tão básico que muitas pessoas esquecem. Na minha profissão é básico você atender bem um paciente/cliente. Conversar com ele, trocar informações e principalmente escutar o que ele tem a dizer. Fora isso é ter um bom relacionamento com a secretária, a faxineira, o protético...
       Não tão longe do consultório em que eu trabalho atua uma outra profissional, que por acaso se formou na mesma faculdade que eu. Vários pacientes já vieram reclamar da postura profissional dela (ou da falta de). A protética (que por acaso, é a mesma) relatou que esta dentista grita e a maltrata na frente do paciente. Se eu fosse em algum profissional da saúde, seja médico, dentista, etc, e este gritasse com os "subordinados" na minha frente, eu nunca mais voltava. E sabe qual é o pior?! O consultório dela vive cheio. Vai entender...
       Mas falando no âmbito geral, é tão simples ser gentil. Um "bom dia", um sorriso, um gesto educado... é tão simples, mas parece tão difícil. Só presenciamos falta de educação, gente emburrada, rostos rabugentos, pessoas com pressa, e pressa e mais pressa. é tão gostoso você cumprimentar alguém com um sorriso e receber outro de volta! Preceito básico que a maioria esquece.






     
   

segunda-feira, 18 de maio de 2015

Ei você

        Sabia que meu coração ainda bate mais rápido quando te vejo? Que quando algo acontece na minha vida, seja bom ou ruim, você é a primeira pessoa para quem eu quero contar? Que é meu último pensamento do dia e o primeiro quando eu acordo? Que os dias que não te vejo parecem vazios, sem sentido?
         Sabia que você me irrita tanto, mas tanto, que tem horas que não aguento sequer olhar pra você, mesmo se você estiver segurando uma cesta cheia de chocolates e doces Fini? Sabia que é pra você que eu me arrumo e não para 'os outros' como você pensa?
         Ei, ei... você sabia que...


eu quero te levar pra sempre comigo?


quarta-feira, 13 de maio de 2015

Quando eu morrer...

         ... Não quero que ninguém me santifique. Não quero que ninguém se lembre somente das coisas boas que fiz, do quanto fui boa amiga, boa filha, boa neta, boa companheira. Não quero ninguém lotando minha página do Facebook com recados de "Você foi uma pessoa maravilhosa", "Agora ela está com Deus", nem nada parecido.
         Não quero choros de arrependimento, muito menos lágrimas de crocodilo de quem nunca levantou um dedo do pé por mim.
         Quero que lembrem sim, das coisas boas que fiz. Mas também quero que se lembrem das vezes que fui uma péssima filha, uma amiga negligente, uma pessoa indiferente. Quero que se lembrem do meu egoísmo, do meu sarcasmo, de tudo que fiz de ruim. Porque aí eu vou ter sido uma pessoa de verdade. Não vou ter sido apenas mais alguém que "partiu desta pra melhor". Vou ter sido uma pessoa que viveu, riu, chorou, se arrependeu, aprendeu, ouviu, cresceu, se fez ouvir. E, acima de tudo, amou aqueles que a cercam da forma mais verdadeira que ela podia.