segunda-feira, 23 de novembro de 2015

Resenha: O Nome em Seu Pulso

Um livro para se refletir...
o nome em seu pulso, livro

Sempre me interessei por histórias que tratassem de um mundo distópico, já vi vários filmes e li vários livros sobre essa perspectiva. Em todos eles o responsável por todo um futuro opressivo, autoritário e carente (de bens materiais e emocionalmente) é o próprio ser humano, e neste livro não foi diferente.
A humanidade chega a um estado incontrolável, onde o planeta sofre com uma superpopulação e os recursos ambientais se esgotam, sendo necessárias intervenções governamentais de forma mais agressiva, reformando todo o sistema político, social e econômico existente. Tais reformas envolvem o controle populacional (são permitidos apenas dois filhos por casal), o controle educacional (a escola e os superiores escolhem as futuras profissões dos alunos, dependendo da demanda de cada área e da necessidade de cada região), habitacional (todas as casas apresentam uma mesma arquitetura e mesma área) e de cultivo (cada família deve ter um jardim, vistoriado pelo Estado, no qual devem ser cultivados quantidades mínimas de verduras e vegetais).
Nesse "Novo Mundo" cada indivíduo apresenta gravado em seu pulso o nome da sua alma gêmea, a pessoa com quem você deve se casar e constituir uma família. Aqueles que encontram o seu par perfeito são mais felizes, apresentam menor taxa de divórcio e um relacionamento duradouro. O Funcionamento de toda a sociedade se baseava na Busca pelo par ideal, que era levado muito a sério. Todos possuíam uma pulseira para esconder o nome no pulso, o qual não era revelado a ninguém, apenas para a pessoa amada.
Nesse cenário todo temos Corin, a personagem principal, a qual decide agir contra o sistema.
A narrativa ocorre em primeira pessoa, contribuindo para a fluidez do livro. Uma história interessante, com um final interessante, embora eu ache que o cenário não foi muito bem construído e um leitor menos atento pode acabar se perdendo em algumas partes. Como toda leitura, só tem a acrescentar. Embora com uma escrita "pobre", a crítica contida na história é bem forte.

Recomendo para ler em um domingo chuvoso, com uma xícara de chocolate quente do lado.


sábado, 21 de novembro de 2015

Sobre a falta de atendimento humanizado na Odontologia

Atualmente, a maioria dos problemas bucais são causados por pura negligência por parte dos pacientes quanto à uma higienização adequada ou por falta de informação. Mesmo com todo o acesso à internet, jornais e programas de televisão, muitas pessoas ainda são carentes de conhecimento sobre a própria saúde, tanto bucal quanto sistêmica.
Infelizmente, uma parcela da culpa sobre esse fato também recai sobre os próprios profissionais de saúde, que muitas vezes deixam de fornecer  as informações necessárias e específicas para cada paciente. Após certo tempo, o trabalho se torna automático, vira rotina, e a tendência de um médico ou dentista é acabar se concentrando apenas no problema físico que o paciente apresenta. Quem nunca foi a um médico com uma garganta inflamada ou uma gripe mais forte e, sendo mal examinado saiu com uma receita de antibiótico, antiinflamatório e analgésico? Ou foi a um dentista que mal explicou como seria feito o procedimento ou o por quê ele foi realizado? Ou não teve suas dúvidas respondidas de forma sucinta e esclarecedora?
Os profissionais da saúde devem ter em mente que cada pessoa é uma pessoa, que cada paciente é um ser humano diferente, que sinais e sintomas físicos podem até se manifestar de formas semelhantes em muitos casos, mas o psicológico, o "pensar", varia para cada pessoa.
Não há muito tempo atrás, a definição do termo "saúde" implicava em ausência de doenças. Pode-se observar que era um conceito muito limitado e obtuso, levando apenas a condição física do paciente. Hoje em dia, essa definição mudou: Saúde é o bem estar físico, emocional e psicológico do ser humano, o qual deve ser tratado e respeitado como um todo, como um ser complexo tal como o é.







sábado, 7 de novembro de 2015

Querer...

Não quero ficar sem você pra aproveitar o mundo,
Eu quero aproveitar o mundo com você!




Eu, você

E ninguém mais!

De repente a saudade bate, meus pensamentos vão até você... Será que está pensando em mim também? Me brotam na memória lembranças doces, coloridas, especiais. Você me complementa, me transborda, me compreende como ninguém mais. É a peça que faltava no meu quebra cabeça.
Sabe aquela conversa que tivemos outro dia? Estive pensando sobre ela... E concordo com o que você disse... Caso algum dia, por motivo de força maior, a gente se separe, no futuro a gente se reencontra. Porque o que temos é tão certo e dá tão certo que não pode simplesmente: acabar!
Lembra quando passamos por aquela dificuldade maior? E até outras menores, sem importância. Mas foi nessa primeira grande dificuldade que conversei com Deus. Não pedi ou implorei pra que a gente ficasse junto ou pra que o mundo explodisse caso nossos planos não dessem certo, nada disso... Apenas abri meu coração e confiei nEle.
3 anos e meio se passaram, meu bem. E estamos aqui, fortes como sempre. E mais uma vez você tem razão no que sempre fala: construímos nossa relação em bases e fundações fortes, e continuamos fazendo isso. Não possuímos bases falhas. Uma pintura ou revestimento, talvez. Mas o mais importante é sólido, forte, inquebrantável. O mais importante, temos conosco a cada dia que passa.

Quero passar o resto dos meus dias com você!

Pra sempre tua!

Camila.

casal, camila e igor, felicidade, love, amor, happy